COMPARTILHE
Créditos: Agência Brasil

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é sempre aguardado com ansiedade pelos candidatos. Neste ano, o texto terá de ser elaborado no primeiro dia de prova, 05/11, juntamente com as questões das áreas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias.


Embora seja impossível precisar a proposta, professores indicam alguns assuntos para os estudantes ficarem de olho e dão dicas de como produzir uma boa redação, que representa 20% da nota final do candidato.

# Daniel Perez, professor de Literatura e Redação no cursinho Maximize

O professor aposta em temas que não deem margem a críticas para o atual governo, dada a sua baixa popularidade. Nesse sentido, vê possibilidades de abordagem do tema do trabalho, mas a partir de um contexto em que se discuta a sua importância e o seu poder de transformação na sociedade brasileira; em sua opinião, o trabalho voluntário também pode aparecer como um bem positivo da sociedade; e a juventude, diante da perspectiva do empreendedorismo juvenil e do poder das escolhas dos jovens.

#Naná DeLuca, professora de redação no cursinho popular da Acepusp

A professora vê possibilidades para o tema da crise prisional, que permitiria aos candidatos discutirem tanto as questões sociais do problema, como as históricas e as raciais. O racismo e seus desdobramentos na sociedade e o preconceito linguístico ligado às classes sociais, em sua análise, também devem ser considerados.

# Maria Aparecida Custodio, Laboratório de redação do Colégio e Curso Objetivo

“Acredito que se mantenha a tendência dos temas que responsabilizam não só o governo, mas também a sociedade, em uma ação conjunta”, avalia. Nesse sentido, aposta no tema da violação dos direitos de crianças e adolescentes, “o governo tem uma campanha sobre o tema e tem convocado a sociedade a denunciar os diversos tipo de abuso”, avalia.

A Reforma da Previdência, a seu ver, também deve ser considerada, “mas em um contexto em que se discuta o direito dos idosos e como se assegura um envelhecimento digno à população brasileira, dada a alta expectativa de vida dos idosos”, explica.

O mesmo pode acontecer com a Reforma do Ensino Médio. A estratégia, avalia, pode ser o de debater os caminhos para melhorar a qualidade do Ensino médio, dado os altos índices de evasão dos jovens na etapa. “Embora a reforma tenha sido apresentada de maneira equivocada, há muito se discute a necessidade de tornar a etapa mais atraente aos estudantes, considerando a flexibilização curricular”.

A professora ainda cita outros temas como homofobia, o crescimento das doenças sexualmente transmissíveis e o consumo de álcool entre os adolescentes; o consumo sustentável, o bullying e o cyberbullying, a violência nas escolas e a inclusão de pessoas com deficiência.

#Andrea Ramal, autora do livro “Redação Excelente – Para Enem e Vestibulares”

A aposta de Andrea é por temáticas mais amplas, para além do contexto brasileiro, como a questão do terrorismo e da crise dos refugiados, dado o endurecimento das leis migratórias. A liberdade de expressão também é um tema que chama a atenção da especialista, “até porque o jovem se expressa muito nas redes sociais”. Em sua análise, um possível enfoque seria discutir os limites da liberdade de expressão, considerada a preservação dos direitos humanos.

Aposta nos temas sociais

De maneira geral, há uma crença para que os temas sociais se mantenham. Ainda que o Manual de Redação considere a abordagem de temáticas científicas, culturais e políticas, elas não pautaram as últimas três edições do exame.

Em 2014, os candidatos tiveram que discorrer sobre  a “Publicidade infantil em questão no Brasil”; 2015 trouxe o tema “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”; e, no último ano, a proposta foi “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”.

Como fazer uma boa redação?

Para os professores, tão importante quanto conhecer sobre o tema da redação é saber se posicionar diante dele. Naná chama a atenção para a importância do estudante saber fazer um recorte temático. “Se o tema for crise prisional, não se espera que o candidato traga informações de maneira genérica, mas escolha um tema, por exemplo, a superlotação dos presídios, e então apresente o seu posicionamento”, coloca, reforçando a necessidade de se apresentar tese, argumentação e conclusão.

Andrea Ramal, por sua vez, dá dicas de como escrever um bom texto e chama a atenção para o necessário encadeamento das ideias na redação. “No Enem, o candidato é especificamente avaliado quanto ao uso dos conectivos, escrever com coesão vale 200 pontos na nota da prova”. Na contramão disso e entre os erros mais comuns estão as repetições, frases fragmentadas e mau uso dos conectivos.

Por isso, mais do que ler e estar atento às informações, os candidatos devem treinar a escrita. “Nesse momento a lógica do ‘bom leitor é um bom escritor’ não adianta”, assegura Daniel.