COMPARTILHE

O INEP divulgou na terça 20, pela primeira vez, indicadores de fluxo escolar na educação básica, dados que permitem avaliar a transição do aluno entre dois anos consecutivos considerando os seguintes cenários possíveis: promoção, repetência, migração para EJA e evasão de escola.


De maneira geral, a educação básica vem sofrendo com o aumento da evasão escolar em todas as etapas do ensino desde 2014, contrariando o período de queda verificado de 2007 a 2013.

Segundo dados do Censo Escolar de 2014 e 2015, 12,9% e 12,7% dos alunos matriculados na 1ª e 2ª série do Ensino Médio, respectivamente, evadiram da escola no período. A terceira maior taxa de evasão fica com o 9º ano do ensino fundamental (7,7%), seguido do terceiro ano do Ensino Médio, com 6,8%. Considerando todas as séries do ensino médio, a evasão chega a 11,2% do total de alunos nessa etapa de ensino.

A situação da evasão é ainda mais agravante nas escolas rurais. As taxas de evasão são maiores em todas as etapas escolares, quando comparadas com as unidades urbanas.

Em relação aos anos iniciais do ensino fundamental, os estados do Maranhão, Paraíba, Acre, Alagoas, Piauí, Pará e Bahia têm as maiores taxas de evasão. Nos anos finais do fundamental, as piores taxas concentram-se no estado do Alagoas, seguido por Maranhão, Pará, Paraíba e Mato Grosso do Sul. Já no Ensino Médio, as taxas de evasão mais expressivas estão no estado do Pará, seguido por Mato Grosso e Alagoas.