COMPARTILHE

Dúvidas são tão inerentes à aprendizagem quanto as figuras do aluno e do professor. Mas o que fazer quando elas surgem longe da sala de aula? Para resolver a questão, o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) lançou o Portal da Matemática, plataforma que disponibiliza videoaulas, exercícios resolvidos passo a passo e apostilas interativas de estudo da disciplina.


Com base nos currículos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º do Médio, a ferramenta auxilia alunos que desejam se aprofundar na Matemática ou esclarecer tópicos, independentemente do horário e do local em que estejam.

“O conteúdo pode ser acessado via computador, notebook, tablet e até mesmo smartphone, por meio da versão app”, conta Claudio Landim, diretor-adjunto do Impa e coordenador-geral da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep).

Para facilitar a navegação, o material é dividido de acordo com os anos escolares. Ao clicar no botão correspondente ao 2º ano do Ensino Médio, o internauta acessa os conteúdos programáticos dessa etapa.

Os temas também se desdobram em módulos, como Análise Combinatória, Teorema de Tales e Lei dos Senos e Cossenos, cada qual acompanhado de breve descrição e pré-requisitos (o que o internauta deve saber para compreender a apresentação). “Um aluno que está com dificuldades em Geometria, por exemplo, pode acessar o site e buscar videoaulas e exercícios sobre o assunto. Ele pode assistir àquele conteúdo quantas vezes precisar, até compreendê-lo, e depois praticar com os exercícios”, explica o professor.

As videoaulas duram entre 10 e 12 minutos e são ministradas por professores de Matemática das melhores escolas do Rio de Janeiro. “Eles tiveram de fazer testes de seleção, inclusive para avaliarmos se eram capazes de dar aula em frente a uma câmera, o que é algo diferente de expor para uma turma”, diz Landim, que também é responsável pela idealização e coordenação do portal.

O material audiovisual é associado a exercícios interativos que apresentam três níveis: fácil, intermediário e difícil. “A plataforma possui um programa que gera exercícios automaticamente. O aluno pode fazer quantos quiser, pois essa ferramenta continua gerando atividades que não se repetem.”

Além de ajudar os aprendizes, outra proposta é servir de ferramenta pedagógica para o docente. “O professor pode se inspirar ao preparar suas aulas ou baixar o aplicativo e trabalhar as atividades com os alunos na sala de aula”, diz Landim.

COMPARTILHE
Artigo anteriorOs donos do jogo
Próximo artigoPalavras filmadas
Jornalista formada pela PUC-SP e bacharel em Letras pela USP. Já trabalhou no site da revista Crescer e escreve sobre educação desde 2013.