COMPARTILHE
Água
Solvente universal, a água dissolve nutrientes, sais minerais e outros compostos importantes

É comum nos depararmos com pessoas com garrafas de água em ambientes públicos, parques, nas ruas, mas é também muito comum verificarmos em supermercados uma variedade de bebidas isotônicas, que, muitas vezes, são indicadas, por meio de propaganda, para hidratação corpórea.


Esclareça a seus alunos sobre algumas das funções básicas da água: conhecida como solvente universal, a água é uma molécula capaz de dissolver inúmeras substâncias, porém nem todas. Demonstre a seus alunos a dissolução de uma pitada de sal de cozinha em um copo de água. Faça uma agitação do sal na água e demonstre como o sal no estado sólido deixa de ser visto.

Leia tema de aula de Química baseado neste texto

Competências: Apropriar-se dos conhecimentos da Química para, em situações problema, avaliar intervenções científico-tecnológicas

Habilidades: Utilizar códigos e nomenclatura da Química para caracterizar substâncias ou transformações químicas; caracterizar materiais ou substâncias, identificando suas implicações biológicas

Lendo o rótulo de uma bebida isotônica, identifique os íons presentes e escreva as fórmulas

1) Sugira que, a partir desses íons, escrevam as fórmulas das substâncias e o nome de mais uma substância encontrada nessa bebida.
2) Como tarefa de casa e fixação, peça que façam o mesmo a partir do rótulo de uma água mineral. Como são muitos os íons, solicite que construam a tabela com 10 exemplos retirados do rótulo.
3) Para treino oral com construção do raciocínio, demonstre à sala o experimento a seguir e solicite que encontrem uma explicação para o fenômeno.
4) Coloque água até completar um quarto de um copo de vidro. A seguir, adicione uma colher bem cheia de sal de cozinha. Agite e espere o sal sedimentar.
5) Pergunte: como podemos explicar o sal no fundo do copo?
6) Conclusão: as moléculas de água presentes no copo fizeram várias coroas de solvatação ao redor dos íons e, como houve um excesso da massa de sal, falta água para solvatar os íons restantes e, com isso, há uma sobra de sal no fundo do copo.


Explique a seus alunos que o mesmo acontece no nosso organismo quando ingerimos algo salgado, pois precisamos de água para dissolver esse sal. Se a pessoa não ingerir água, o sal atrai a água dos nossos órgãos, deixando-os desidratados, assim como a nossa pele e até a cartilagem entre os ossos, provocando a falta de lubrificação e até mesmo a dor.

Pergunte a seus alunos: por que sentimos sede? Com certeza vão conseguir explicar que é devido à necessidade do sal se dissolver no organismo. Se ele não encontrar água o suficiente, começa a retirar a água dos órgãos, da boca e aí vem a sensação de sede.
Além de dissolver nutrientes, sais minerais e outros compostos importantes, a água colabora no transporte dessas substâncias para todo o corpo garantindo as condições estáveis do meio interno, conhecida como homeostase.

Na homeostase térmica, a água faz o controle da temperatura corpórea mantendo-a estável. Na homeostase hídrica, a água ingerida mantém sua presença na composição interna e externa das células, no plasma, nas secreções, no líquido espinhal etc.
Mas qual é a composição da água? Ela é pura? Não, a água que ingerimos não é totalmente pura. Ela vem de rochas, de fontes naturais, de estação de tratamento de água e, portanto, possui muitas substâncias dissolvidas. Tais substâncias estão em baixa concentração, isto é, baixa quantidade em massa.

Peça a seus alunos para que leiam o rótulo de frascos de água mineral de marcas diferentes. Vão perceber que há água rica em cálcio, sódio e outras contendo magnésio, potássio, cloretos, carbonatos etc.

Compare o rótulo de um isotônico com um frasco de água de coco. Perceberão que algumas substâncias se repetem. Lembre-os de que o termo isotônico para bebidas significa uma solução que foi desenvolvida industrialmente para ficar parecida com a quantidade de sal que temos de ter no organismo.

Muitas indústrias tentam similaridade com o rótulo da água de coco, um produto natural também rico em compostos solúveis na água. Nos rótulos dos isotônicos vão perceber que a diferença entre os demais rótulos é também a presença do açúcar, utilizado na fórmula para repor energia.

Peça ainda que verifiquem as quantidades indicadas nos rótulos, que na água mineral as quantidades em massa são menores e a variedade é muito maior.

Agora, motive-os a pensar na fonte de sais minerais e outras substâncias químicas que ingerimos no café da manhã, no almoço, no lanche, nos sucos etc. ao longo de todo o dia. Pergunte: precisamos de mais sais minerais oriundos de bebidas isotônicas? Como o nosso corpo reage aos excessos de alguns sais?

Primeiramente, devemos pensar que os sais que naturalmente ingerimos precisam da água para dissolvê-los dentro do organismo. Imagine a sede após comer um bacalhau. Precisamos de muita água para a dissolução do sal contido no peixe.

Um sal de cloreto de sódio, por exemplo, quando em água, tem seus inúmeros íons de sódio e de cloreto separados. A separação ocorre devido às moléculas de água com seu lado negativo, lado do átomo O (oxigênio) atrair o lado positivo do cristal iônico, que é o sódio. Várias moléculas de água ficam ao redor de cada íon sódio, mantendo-o separado do cloreto.

Já o lado positivo da molécula da água, o lado dos hidrogênios, se aproxima do íon negativo, o cloreto, e várias moléculas de água ficam ao seu redor, impedindo-o de se aproximar do sódio. Os íons tentam se aproximar, mas a água não permite. Daí a dissolução do sal. Essas moléculas de água ao redor de cada íon formam as coroas de solvatação. Para cada íon são várias moléculas de água. Se ingerirmos muitas bebidas carregadas de sais somados aos sais provenientes da nossa alimentação, quem vai solvatar os íons? Precisaremos de mais água para que essa possa fazer a coroa de solvatação ao redor dos íons afinal, somente solvatados vão entrar na corrente sanguínea para serem distribuídos pelas células, portanto, a água dissolve os sais antes que estes retirem água do próprio corpo humano.

Naturalmente, por meio da alimentação, já temos os sais necessários para o organismo e, mesmo perdendo sais e água em atividades físicas através da pele, no suor, notamos que a própria água de torneira ou mineral, com a presença de muitas substâncias químicas, é capaz de repor as necessidades corpóreas.

Em caso de uma grave desidratação, perda de muita água e sais minerais, é necessária a orientação médica para saber qual a melhor maneira de repor e controlar a desidratação de forma rápida e eficaz.

* Elisabete Rosa é coordenadora de Laboratório de Química do Colégio Bandeirantes