COMPARTILHE
A teoria do amor
Ao lado de Meg Ryan, Walter Matthau encarna o físico na comédia romântica A Teoria do Amor

Da série de tevê Star Trek – Jornada nas Estrelas, na década de 1960, as longas-metragens recentes como Watchmen (2009), Os Agentes do Destino (2011) e Interestelar (2014), passando por uma extensa filmografia de ficção científica realizada desde que o gênero adquiriu no cinema o respeito que já havia obtido na literatura, são inúmeros os longas e seriados que, em maior ou menor grau, fazem referência às contribuições de Albert Einstein (1879-1955) para o avanço da física.


Fendas e viagens no tempo, por exemplo, correspondem a um tema recorrente que precisa driblar conceitos formulados por ele, na tentativa de convencer os espectadores sobre a plausibilidade científica das estripulias que veem. O maior indício da popularidade de Einstein, no entanto, são os filmes em que ele se torna personagem, na suposição de que o grande público consegue associá-lo à ideia (ou ao estereótipo) de cientista, ao menos como se caracterizava no século XX.

É o caso da comédia romântica A Teoria do Amor (1994), dirigida pelo australiano Fred Schepisi (Um Grito no Escuro, Seis Graus de Separação). Cabe a Walter Matthau (1920-2000), figura lendária do entretenimento americano e grande parceiro de Jack Lemmon em comédias como Um Estranho Casal (1968) e A Primeira Página (1974), interpretar Einstein, cuja sobrinha (Meg Ryan, de Harry e Sally) é cortejada por um jovem (Tim Robbins, de Um Sonho de Liberdade) que, para conquistá-la, finge ser um cientista. Nesse disfarce, o sortudo tem a ajuda, nem um pouco relativa, do próprio Einstein.

DVDs/Filmes com Albert Einstein

Esse Mundo É um Hospício (1944)
O mais ilustre intérprete de Einstein talvez tenha sido o ator austríaco – nascido em cidade que hoje pertence à Eslováquia – Peter Lorre (1904-1964), célebre por filmes como M, O Vampiro de Dusseldorf (1931), O Homem Que Sabia Demais (1934) e Casablanca (1942). Seu Dr. Einstein, no entanto, é personagem secundário nessa comédia estrelada por Cary Grant.

O Jovem Einstein (1988)
O ator, diretor e roteirista australiano Yahoo Serious (pseudônimo de Greg Pead) faz uma brincadeira com a trajetória de Albert Einstein, “reinventado” nessa comédia maluca como o filho de um fazendeiro da Tasmânia que viaja a Sydney para patentear uma descoberta bizarra e conhece a cientista polonesa Marie Curie (Odile Le Clezio).

15 Anos e Meio (2008)

O ator francês François Berléand (Comédia do Poder, O Concerto) faz o papel de Albert Einstein nessa comédia leve em que Daniel Auteuil (O Adversário, Caché) interpreta um cientista francês que vive nos EUA, mas que precisa voltar à França para cuidar de sua filha adolescente (Juliette Lamboley), pouco interessada no que faz o pai.