COMPARTILHE
Roupa de Brincar
No livro Roupa de Brincar, a importância de ressignificar ausências e dar cor aos espaços vazios

Quais foram os grandes destaques dentre os livros para crianças lançados em 2015? Denise Guilherme Viotto, mestre em Educação e curadora do A Taba, plataforma que auxilia pais e professores a escolherem as próximas leituras das crianças, respondeu à esta pergunta com a pequena lista que você confere abaixo.

Leia também: Dez obras para conhecer a Literatura Indígena
Histórias mágicas de companhias reais

Malala, a menina que queria ir para a escola, de Adriana Carranca. Ilustrações de Bruna Assis Brasil. Companhia das Letrinhas

Malala para Crianças

Esse livro, com certeza, merece ser mencionado. Especialmente porque inaugura um novo gênero para crianças – o livro reportagem. Com linguagem acessível, a autora nos convida a fazer uma viagem ao Paquistão, descobrindo a diversidade da vida e a cultura de um povo que ainda é um mistério para o Ocidente.

As ilustrações de Bruna Assis Brasil misturam desenhos, colagens e fotografias, criando cenas que representam diferentes momentos da história. Se por um lado, os desenhos e as colagens se aproximam daquelas realizadas por crianças, as fotografias trazem realismo à narrativa, fazendo-nos conhecer melhor a paisagem na qual vive Malala.

Histórias como a de Malala precisam ser contadas. Os valores que ela busca defender com sua vida ainda não são garantidos em muitos lugares do mundo. Há milhares de meninas e meninos fora da escola e que não têm seus direitos básicos assegurados, sendo vítimas de todo tipo de violência. Conhecer a trajetória dessa garota – agora com 18 anos – pode nos inspirar a olhar muito além do nosso mundo e nos tornar, quem sabe, mais próximos de pessoas nas quais, a princípio, só enxergamos a diferença.

O sonho de Lu Shzu, de Ricardo Gómez. Ilustrações de Tesa González. Mov Palavras

O sonho de Lu-Shzu

Somos convidados a conhecer duas histórias que se entrelaçam: a de uma boneca muito desejada e a de uma menina que sonha com algo que não pode possuir. O texto sensível do espanhol Ricardo Gómez nos torna cúmplices nessa aventura, aproximando-nos de uma realidade dura que está por trás de objetos que consumimos e que, muitas vezes, não queremos enxergar.

As ilustrações belíssimas de Tesa González, cheias texturas e nuances, escondem detalhes que serão descobertos apenas pelos leitores mais atentos. O texto e a ilustração conversam o tempo todo, um completando e ampliando o sentido do outro.

De maneira delicada e tocante, Ricardo Gómez utiliza a voz de uma boneca para nos fazer conhecer uma menina que trabalha em uma fábrica por muitos anos sem sequer conhecer o que produz. Em paralelo, o leitor também descobre que o brinquedo que se tornou o mais querido não foi feito em uma fábrica, mas surgiu das mãos de uma avó que soube acolher e aceitar os sonhos de sua neta.

Roupa de brincar, de Eliandro Rocha. Ilustrações de Elma. Pulo do Gato

Capa Roupa de BrincarNesse livro, uma menina conta sua relação com uma tia muito especial e seu divertido guarda-roupas. É nesse espaço inusitado que as duas se encontram e brincam de se vestir com cores e estampas variadas.

Porém, algo acontece na vida da tia e o guarda-roupas que convidava à alegria torna-se um lugar vazio e monocromático. O livro fala das ausências e dos espaços vazios que, às vezes, precisam ser ressignificados.

Chama a atenção a escolha do tema e a unidade do projeto editorial. Texto e imagem dialogam de maneira sensível em todas as páginas. Ao escolherem contar a história a partir da voz da menina e de sua relação com a tia, Eliandro e Elma construíram uma narrativa em que o amor e aceitação guardam espaço para o luto e também para trazer as cores de volta à vida.

Leia também| Principais lançamentos para 2016