COMPARTILHE

Quem disse que poesia é coisa séria? O texto lírico pode ser também muito divertido e render infinitas brincadeiras, como mostra o livro-aplicativo Poemas de brinquedo, do artista mineiro Álvaro Andrade Garcia.


A obra transmídia, isto é, disponível em versão impressa – uma espécie de caixinha contendo diversas fichas com poemas – e versão digital via aplicativo, explora o aspecto lúdico das palavras, suas sintaxes e sonoridades.

Dessa maneira, atribui novos sentidos à língua e propõe uma verdadeira “experimentação” da palavra em suas três grandes facetas – som, imagem e sentido.

Os poemas brincam com sotaques regionais brasileiros, trava-línguas, etimologia das palavras e variações da norma culta.

Uma boa oportunidade para aproximar os pequenos, sob o signo da criatividade, das metamorfoses linguísticas, incentivando o gosto pela leitura, pela escrita e, sobretudo, pela criação.

poemas-de-brinquedo-capaPoemas de brinquedo
Autor: Álvaro Andrade Garcia
Projeto visual: Márcio Kopowski
Design sonoro: Ricardo Aleixo
Editora Peirópolis, 2016