COMPARTILHE

Encontrado nas ruínas dos crematórios do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau por uma médica soviética, durante a libertação dos prisioneiros pelo Exército Vermelho, o diário da adolescente Rywka Lipszyc é um documento histórico extremamente valioso, pois ajuda a recompor o duro cenário vivido pelos judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Rywka, uma garota judia nascida na cidade de Lodz, na Polônia, passou a viver em um campo de trabalhos forçados após a ocupação nazista de seu país, em 1939. Lá, foi submetida a toda sorte de tragédias: a morte dos pais, a deportação dos irmãos e a fome. Entre 1943 e 1944, a menina registrou esses acontecimentos em um diário, no qual narra a experiência de ser adolescente em um contexto difícil e sem qualquer amparo. Além do precioso relato sobre uma época, o diário mostra também o papel de resistência que a escrita assume em uma situação adversa e repleta de privações.


O Diário de Rywka: Encontrado em Auschwitz em 1945, publicado pela primeira vez 70 anos depois, de Rywka Lipszyc. Seguinte, 2015.

O amor nos tempos da guerra
Hilda é uma jovem descendente de italianos que sonha se tornar enfermeira. Vivendo no Rio de Janeiro da década de 1940, a estudante, porém, vê sua vida e seus planos mudarem drasticamente, quando o Brasil decide entrar na Guerra para lutar ao lado dos Aliados. Em meio às dificuldades trazidas pelo conflito, Hilda depara-se com outra descoberta repleta de tensões: o primeiro amor. Relatando em um diário seus sentimentos, angústias e acontecimentos cotidianos, a menina vai ganhando a coragem necessária para enfrentar a situação.
Marcas de Uma Guerra, de Sandra Pina. Melhoramentos, 2013

Histórias Cruzadas
A Mala de Hana é uma narrativa baseada em fatos verídicos, que relata os terríveis efeitos do Holocausto na vida de uma criança. O ponto de partida é uma mala vinda de Auschwitz e exposta no Centro Educacional do Holocausto de Tóquio, no Japão. Na bagagem lê-se em tinta branca: Hana Brady, 16 de maio de 1931, órfã. Para elucidar o mistério da dona do objeto, a obra, então, costura três histórias de diferentes épocas e lugares do mundo. A vida de uma garotinha e sua família na antiga Tchecoslováquia durante a Segunda Guerra Mundial, um grupo de crianças e sua tutora no Japão e um homem vivendo no Canadá nos dias de hoje.
A Mala de Hana: Uma história real, de Karen Levine. Tradução de Renata Siqueira Tufano. Melhoramentos, 2007.

Depois da guerra
O célebre romance de Milton Hatoum, Dois Irmãos, vencedor do Prêmio Jabuti de 2001, ganha agora versão em quadrinhos, assinada pelos premiados gêmeos cartunistas Fábio Moon e Gabriel Bá. O livro conta o drama de uma família de imigrantes libaneses na cidade de Manaus, centrado no conflito entre os gêmeos Omar e Yaqhub e a relação destes com a mãe, o pai, a irmã e a empregada Domingas. O narrador é o filho de Domingas, que silenciosamente acompanha a saga da família ao longo de 30 anos, testemunhando toda a sorte de conflitos e sentimentos. O resultado é uma forma fascinante de conhecer a história recente do Brasil, passando pelo difícil período da Segunda Guerra Mundial até a ditadura no Brasil.
Dois Irmãos, de Fábio Moon e Gabriel Bá. Baseado na obra de Milton Hatoum. Quadrinhos na Cia, 2015

Laços inesperados
Jacob Todd é um jovem de 17 anos que enfrenta uma série de conflitos emocionais e que tem verdadeira adoração por Anne Frank, que testemunhou os horrores da ocupação nazista na Holanda em seu célebre diário. Descendente de holandeses, Jacob viaja para Amsterdã para a comemoração da batalha de libertação holandesa, na qual seu avô lutou 50 anos antes. Chegando na “cidade onde nada é o que parece”, conforme o adverte um misterioso bilhete, ele conhece a idosa Geertrui, doente terminal que lhe conta uma surpreendente história, que faz com que o garoto reflita sobre a sua existência e crie relações com seus antepassados.
Postais da Terra de Ninguém, de Aidan Chambers. Tradução de Simone Campos. WMF Martins Fontes, 2012