COMPARTILHE
Prova dos 200 metros no atletismo masculino, na Olimpíada de Pequim, em 2008

Os Jogos Olímpicos representam uma das atividades de maior visibilidade do contexto esportivo contemporâneo e estão fundamentados não apenas nas regras de cada modalidade esportiva, mas principalmente nos valores humanos, combinando esporte, educação e cultura.


Sua origem se associa às competições atléticas na Grécia, que eram realizadas para celebrar diferentes deuses. Por isso, muito do que se sabe sobre a história desse período se confunde com a mitologia. Na Grécia Antiga, as práticas atléticas eram consideradas uma obrigação moral, e os gregos entendiam que a beleza e a força eram exercitadas pela ginástica e pelas artes, desenvolvendo o corpo e a alma, e nunca um sem o outro.

Leia abaixo atividade para Ensino Fundamental baseada no tema:

Ano do Ciclo: 4º a 7º anos do Ensino Fundamental

Componente curricular: Educação Física Possibilidade

Interdisciplinar: História, Geografia Tempo de Duração: 3 a 5 aulas

Objetivos de aprendizagem:
– Conhecer a história de eventos esportivos e suas transformações ao longo do tempo em conformidade com os grupos que as originaram ou recriaram
– Elaborar, em diferentes suportes textuais, produções discursivas alusivas a eventos esportivos

Proposta de atividade: O objetivo dessa proposta é ampliar o trabalho de pesquisa do aluno, estimulando-o a buscar outras fontes relacionadas com o tema e também com sua curiosidade

1. Hoje o Comitê Olímpico Internacional (COI) tem mais países afiliados do que a Organização das Nações Unidas. Proponha uma atividade, que pode estar associada com geografia, buscando um mapa mundi ou um globo onde, com alfinetes coloridos, são identificados todos os países que participam do COI. É possível também usar a internet e acessar o site do COI para buscar mais informações a respeito, fazendo, por exemplo, um levantamento das bandeiras das nações participantes, continente ao qual pertencem e desde quando participa de Jogos Olímpicos.

2. Proponha que os alunos busquem referências sobre a Grécia Helênica. Observe como era a organização da sociedade e como isso interferiu diretamente na organização dos Jogos. Quem eram as pessoas que podiam participar como competidores e por quê? Observe por que os Jogos Olímpicos da Antiguidade eram realizados em diferentes cidades e com denominações distintas. Busque na história e na mitologia elementos para fazer essa discussão.

3. Proponha um debate acerca de valores. O que são valores? Como eles são construídos e por que eles norteiam toda a nossa vida em sociedade. Por que para alguns países aquilo que pode ser certo é errado em outros? Essa discussão pode abranger o capítulo sobre gênero, multiculturalismo, Jogos Paraolímpicos e também o tema doping.

4. Faça uso de imagens marcantes de Jogos Olímpicos que envolvam não apenas a vitória de alguns atletas, mas também sobre o esforço realizado por outros tantos. Discuta sobre o valor do esforço, mesmo que isso não envolva a vitória. Aponte para a necessidade do trabalho árduo para a conquista de objetivos.

Os Jogos Pan-Helênicos dividiam-se em quatro grandes competições atléticas na Grécia: os Jogos Olímpicos homenageavam Zeus; os Jogos Píticos celebravam Apolo; os Jogos Ístmicos celebravam Poseidon; os Jogos Nemeus ocorriam em honra a Hércules. Os Jogos Heranos eram disputados exclusivamente por mulheres e homenageavam a deusa Hera, esposa de Zeus. Havia ainda as Panateneias, realizadas em honra à deusa Atena. Uma Olimpíada é o nome dado ao período de quatro anos que separa uma edição dos Jogos Olímpicos da outra.

O Movimento Olímpico contemporâneo foi criado por Pierre de Coubertin. Ele acreditava que o esporte era uma importante forma de educação para a juventude. Para ele, mais importante que a vitória nas competições era a participação na disputa. E assim nasceu o Olimpismo que se refere ao conjunto de valores pedagógicos e filosóficos do Movimento Olímpico, e não apenas os Jogos Olímpicos.

Os Jogos Olímpicos da Era Moderna tiveram sua primeira edição em 1896. As modernas Olimpíadas, ou seja, o período em que ocorrem as edições dos Jogos Olímpicos, dividem-se em Jogos de Inverno e de Verão, ocorrem de quatro em quatro anos, como na Antiguidade, alternando-se a cada dois anos entre os Jogos de Verão e os de Inverno. Atualmente, a realização das competições é disputada por metrópoles de países dos cinco continentes, em um processo que demanda alguns anos. As regras do Movimento Olímpico estão contidas na chamada Carta Olímpica.

Ao longo do século XX os Jogos Olímpicos deixaram de acontecer em três ocasiões: os Jogos da VI Olimpíada, em 1916 por causa da Primeira Guerra Mundial e os Jogos da XI e da XII Olimpíadas, em 1940 e 1944 por causa da Segunda Guerra Mundial.

Entre os símbolos olímpicos destacam-se a bandeira com os anéis entrelaçados. Ele foi criado em 1913, e cada um dos anéis coloridos representa um continente: o azul refere-se à Europa, o amarelo à Ásia, o preto à África, o verde à Oceania e o vermelho à América. Essas cores estão presentes em quase todas as bandeiras dos países do mundo. Somente nos Jogos Olímpicos de Antuérpia, em 1920, o símbolo, em fundo branco, foi utilizado pela primeira vez na bandeira olímpica que abriu o desfile das delegações.

Arena Carioca 1, que sediará jogos de basquete
Arena Carioca 1, que sediará jogos de basquete

A chama olímpica é considerada um dos elementos centrais dos Jogos Olímpicos desde a Antiguidade, quando o fogo representava a luz e o poder dos deuses presente na celebração olímpica. Acesa em um ritual no Templo de Hera, em Olímpia, a chama é passada para uma tocha e, então, é conduzida por atletas e pessoas de diferentes países até chegar ao estádio onde serão realizados os Jogos Olímpicos, quando então é acesa a chama olímpica, que será apagada somente ao final da cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos.

As oliveiras eram árvores símbolo da Grécia, grande produtora de azeitonas e de azeite, fundamentais para os gregos tanto na alimentação como enquanto combustível para iluminar as casas. A coroa com ramos de oliveira simbolizava o triunfo do vencedor nas provas dos Jogos Olímpicos. Os demais Jogos Públicos premiavam seus vencedores com objeto de valor local, como a cora com ramos de louros.

Os Jogos Olímpicos basearam-se em um conjunto de valores que são a referência fundamental do Movimento Olímpico até os dias atuais. Desde que Pierre de Coubertin deu início ao Movimento Olímpico no final do século XIX, ele não desejava apenas criar uma competição esportiva. Alguns princípios éticos, pedagógicos e morais norteavam essa prática, que hoje representam a face pública do Olimpismo. Assim, o respeito, a coragem, a determinação, a inspiração e a igualdade são valores olímpicos por excelência, que funcionam como um Código de Conduta do Movimento Olímpico e buscam nortear as ações de todos os envolvidos nas atividades olímpicas, sejam elas competitivas, administrativas ou voluntárias.

 

*Katia Rubio é professora associada da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo, tem 22 livros publicados na área de Psicologia do Esporte e Estudos Olímpicos e é membro da Academia Olímpica Brasileira